Politica
13/08/2019 13:29

Os vereadores Volnei da Saúde (Progressistas), Manu da Costa (PRB) e Ubiratã Oliveira (Progressistas) criticaram duramente o secretário de Saúde, João Teixeira (MDB), durante a sessão de ontem, dia 12, da Câmara Municipal de Gramado. Eles reclamaram da falta de medicação básica na farmácia do município e da demora para a comunidade conseguir atendimento médico.

Ubiratã Oliveira afirmou que os problemas na saúde do município estão sendo constantemente debatidos na Câmara, em virtude das demandas apresentadas pela comunidade, como a falta de medicamentos. "O próprio gestor da saúde falou que estão faltando 15 remédios na rede básica de saúde. São medicamentos importantes para pessoas que são hipertensas, sofrem de convulsões, doenças cardíacas, depressão, só para citar alguns. Todos esses remédios são de responsabilidade do município. Não são fornecidos pelo governo federal. São adquiridos pela Secretaria de Saúde, através de licitação, de um planejamento, para que a demanda seja atendida. O gestor da saúde disse que esses medicamentos não são da farmácia básica e isso não é verdade", disse Ubiratã.

O Progressista declarou ainda que tem recebido diversas críticas da comunidade de que as políticas públicas de saúde estão paralisadas desde 2017. "Nenhum novo programa se iniciou de 2017 para cá. Não temos nenhum programa novo de saúde pública. Não temos programa para deficientes intelectuais ou múltiplos, para crianças e adolescentes e nenhum para os idosos. Não foi criado nada novo desde 2017. Não temos prevenção de doenças, drogadição e dependência ao álcool. Qual o programa de prevenção de saúde bucal que existe? Nenhum. Não basta colocar um dentista para atender. Tem que haver um programa de prevenção. Não adianta o secretário ficar bravo. Ele mesmo concorda que não licitou de maneira adequada os medicamentos e nem os alimentos para atender o Centro de Atenção Psico-Social (CAPS), deixando as pessoas, por um tempo, sem alimentação. Poderia ter feito um contrato emergencial para atender a população. O gestor de saúde quando era vereador, era um crítico da saúde de Gramado. E nem por isso ele não era ouvido. Ele precisa nos ouvir. São sugestões que damos para melhorar", salientou Ubiratã.

A vereadora Manu da Costa disse que é muito cautelosa ao criticar a saúde, mas que não pode se furtar em relação à demora nos atendimentos. "Temos visto em algumas cidades do País várias tentativas para resolução de demandas atrasadas na questão de consultas e exames, como mutirões noturnos. A demora nos atendimentos, quando se trata de consultas com médicos especialistas, é uma das reclamações. Tenho recebido muitas demandas nesse sentido, bem como a longa espera para cirurgias de alta complexidade. As pessoas têm esperado muito tempo por esses atendimentos. Temos que agir em prol da solução", disse Manu.

Ela acrescentou que as pessoas estão com dores, precisando de cirurgias urgentes e estão esperando demais. "São meses de espera. Vamos nos unir para encontrar um caminho, quem sabe um mutirão. Cirurgias ósseas são muito demoradas. Pessoas idosas precisam de atendimento. Não é possível esperar três meses para uma consulta. As doenças evoluem. Daqui a pouco o problema se agrava. Se precisar que a Câmara repasse algum recurso, de fazer parceria com outros municípios, vamos fazer. Estamos aqui para encontrar definitivamente uma solução", frisou Manu.

Volnei da Saúde disse que o secretário fez declarações raivosas numa emissora de rádio, por conta de críticas feitas pelos vereadores na tribuna da Câmara. "Quando fazemos críticas é porque recebemos documentos e reclamações da comunidade. São muitas reclamações recebidas e realizadas nas redes sociais. Se a saúde estivesse essa maravilha que estão apresentando, não haveria tantas reclamações. Foi anunciado que o Executivo faria investimentos de R$ 1 bilhão na cidade e até hoje isso não aconteceu. Quando a Prefeitura fará esse investimento?", questionou Volnei.

O vereador Everton Michaelsen (MDB) saiu em defesa do secretário João Teixeira. "É uma pessoa ética, que nunca teve um questionamento em sua vida pública. Tento me colocar no lugar da comunidade, que não sabe qual lado está com a razão. Sugiro que o secretário de Saúde seja convocado para uma sessão na Câmara, para que seja esclarecido sobre o que está acontecendo. Porque senão fica um jogo. A oposição diz que está ruim e a situação diz que está tudo bem. Está na hora de trazermos informações efetivas. A população está cansada de ouvir cada hora uma coisa. Na minha opinião a saúde está indo bem. Vamos trazer o secretário e colocá-lo frente a frente com os vereadores. Confio na retidão do secretário João", disse Michaelsen.