Politica
25/11/2021 13:05

O Teatro Elisabeth Rosenfeld do Poder Legislativo Municipal sediou na noite da quarta-feira, dia 24, o segundo encontro do fórum “Novos rumos do saneamento: Como fica Gramado?”.


Na programação, os palestrantes pontuaram tópicos da municipalização da água e do processo de privatização da Corsan. A mediação foi do diretor executivo da Agência Visão, Rafael Carniel. Acompanhe abaixo o pronunciamento dos participantes. Mais informações em: (54) 3295-7000.


Pronunciamentos


Diretor do DMAE, Alexandre de Freitas Garcia: “Gosto do serviço de água de forma municipalizada. É um tema de Estado, não uma linha de governo. As tomadas de decisão precisam ser muito claras, não pode ser algo de forma empírica. Precisamos ter estudos, dados. Tem coisas do serviço de saneamento básico, por exemplo, que o serviço público nunca vai poder abrir mão”.


Presidente do Sindiágua, Arilson Wunsh: “O sindicato, acima de tudo, é uma entidade que representa os trabalhadores ou uma classe. Serve para defender, negociar e intermediar interesses sociais entre patrões e empregados. Pergunto: será que teremos a regionalização? O que a Corsan representará em caso de privatização: menos saúde, menos educação, menos segurança, menos tarifas sociais e menos filantropia”.


Diretor executivo da Agência Visão, Rafael Carniel: “Gramado, hoje, é considerado um destino desenvolvido. O fluxo turístico não sofre muitos impactos, e temos provas da resiliência do turismo de Gramado. Mas a partir desse ponto começam a se observar colapsos de mobilidade, estacionamento, esgotamento, abastecimento de água e de energia elétrica”.


Presidente do Legislativo, vereador Professor Daniel (PT): “A ideia da Câmara de Vereadores é ser uma instituição que quer ouvir diferentes visões. Temos temáticas muito importantes e eu julgo ser algo extremamente importante a questão do saneamento como questão central do debate. Estamos com esse debate na centralidade”.