Politica
13/05/2020 17:45

O jornalista Cláudio Scherer publicou nas últimas edições de sua coluna um interessante comentário sobre a não renovação dos Progressistas de Gramado, o que gerou até uma resposta do atual presidente, Jaime Schaumllöffel, se eximindo de culpa da derrota de Pedro Bala nas últimas eleições.

Cláudio lembrou que Jaime era o presidente do partido nas eleições passadas, quando os Progressistas perderam a eleição. Isso irritou Jaime, que enviou uma resposta apontando outros motivos para a derrota, como a escolha do vice, o desgaste de 16 anos de governo, entre outros. Interessante apontar o desgaste de 16 anos de governo, sendo que agora o PP terá que defender justamente o retorno das mesmas pessoas que comandavam o município antes.

Recentemente publiquei uma análise sobre os dinossauros que comandam o PP e que não deixam as novas cabeças pensantes terem espaço. Nomes como Eduardo Zorzanello, Bruno Coleto, Ike Koetz, Márcio Coracini, entre outros, jamais tiveram destaque no partido.

Tanto que Coracini acabou desistindo de disputar o cargo de vice de Nestor nas próximas eleições, porque viu que não teria chances. Os caciques não iam deixar isso acontecer. Tudo indica que a preferência para o cargo de vice é novamente o de um dinossauro: Luia Barbacovi, o preferido de Tissot.

O fato é que agora parece que está caindo a ficha para Nestor, de que ele precisa mostrar que está voltando renovado, com novas ideias e novas cabeças. Apesar de sabermos que isso não é verdade. Nestor continua truculento, tratando mal seus aliados e com ideias ultrapassadas. É justamente isso que está afastando a ala produtiva dos Progressistas de seu candidato.

Segundo fontes, nenhuma das lideranças citadas acima quer assumir a campanha de Nestor, justamente por saberem quem ele é e como trata as pessoas. Resta a ele o apoio dos dinossauros e dos puxa-saco. 

Esse último grupo é o mas perigoso, mas também o que mais agrada Nestor, pois só falam para ele o que ele quer ouvir. Coisas como: “a eleição já está ganha”, “não precisa nem sair de casa”, a diferença será de mais de 10 mil votos”. Isso mostra que a turma do já ganhou continua firme e forte dentro dos Progressistas e que o partido não aprendeu nada com os erros do passado.