Politica
31/08/2021 14:05

O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga anunciou no sábado (28) a entrega de mais uma Unidade Básica de Saúde em Gramado. A unidade, no bairro Floresta, recebeu R$ 408 mil em recursos federais para construção e vai reforçar o atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no município. Além disso, a pasta assinou um Termo de Compromisso para a construção de um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e uma nova UBS, no valor R$ 1,5 milhão cada, totalizando R$ 3 milhões.

Durante a cerimônia de entrega, o ministro Marcelo Queiroga destacou que o fortalecimento da atenção primária em saúde é prioridade do governo Bolsonaro e reforçou que economia e saúde devem andar juntas, citando o exemplo do município de Gramado. Para ele, com esse reforço será possível conter o caráter pandêmico da Covid-.19. “Não só Gramado, mas o estado do Rio Grande do Sul, aquecem a economia e recebem brasileiros de todos os lugares. Estamos no caminho certo e vamos pôr um fim a essa pandemia. Defender o SUS é um dever de cada brasileiro. Viva o Rio Grande do Sul, viva Gramado e viva o Brasil”, concluiu Queiroga.

Já o prefeito Nestor Tissot visivelmente emocionado com o anúncio agradeceu os repasses. “Gramado sempre foi destaque para o Rio Grande do Sul e Brasil na captação de recursos. Nos próximos meses e anos não será diferente, pois vamos trabalhar incansavelmente para o fortalecimento de todas as áreas da Administração Pública. Seja na ampliação da educação, da saúde, da infraestrutura asfáltica, Gramado viverá um novo momento. Não faltará empenho da equipe de Governo para garantir investimentos em toda a cidade”, disse o prefeito.

Programa Saúde na Hora

Horário estendido de funcionamento para 373 unidades de saúde em 211 cidades brasileiras: o Ministério da Saúde anunciou, no sábado (28), durante agenda em Gramado, as novas habilitações do programa Saúde na Hora. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, assinou portaria que prevê mais de R$ 110,8 milhões, até dezembro de 2022, para as unidades da Atenção Primária à Saúde garantirem atendimento à população durante um período estendido.

Os estados que serão contemplados pelo programa são: Acre, Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantins.

O ministro da saúde, Marcelo Queiroga, destacou que uma das prioridades do Governo Federal, a pedido do Presidente da República, é fortalecer a atenção primária como uma das estratégias para pôr fim ao caráter pandêmico da Covid-19. “São mais de 53 mil Unidades Básicas de Saúde, toda hora nós inauguramos uma nova. Essa é a resposta do nosso governo para a crise da pandemia”, destacou.

Atualmente, são 2.079 unidades habilitadas para receber o repasse mensal pelo programa. O Saúde na Hora amplia o acesso da população aos serviços de atenção primária, que têm capacidade de resolver até 80% dos problemas de saúde, desafogando hospitais gerais, prontos-socorros e UPA 24h. Essa ampliação acontece por meio da extensão do horário de atendimento das Unidades de Saúde da Família (USF) ou Unidade Básica de Saúde (UBS) no período noturno, durante o almoço e, opcionalmente, aos fins de semana.

O Programa Saúde na Hora conta com a possibilidade de adesão em quatro tipos de formato de funcionamento em horário estendido: UBS com 60 horas semanais, UBS com 60 horas semanais com Saúde Bucal, UBS com 75 horas semanais com Saúde Bucal e UBS com 60 horas semanais simplificado. O objetivo é ampliar o atendimento para poder receber mais pessoas, uma vez que em diversos municípios a população não consegue ir aos postos de saúde no horário normal, que é das 8h às 17h.

“Quando os horários são estendidos os recursos também precisam aumentar, para pagar funcionários, médicos, enfermeiros e outros participantes da equipe de saúde. Então, o Governo Federal paga esse recurso a mais para as unidades básicas de saúde continuarem funcionando. Todos os municípios que solicitaram, a gente deferiu. A nossa intenção é aumentar o máximo possível atenção primária”, destacou o secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, Raphael Câmara.

Em 2020, devido à pandemia causada pela Covid-19, além da criação do formato 60 horas simplificado, estabelecimentos com uma equipe de saúde também puderam receber incentivo sem necessidade de adesão, o Saúde na Hora Emergencial. O Governo Federal destinou R$ 36,6 milhões para 1.416 unidades, contemplando 770 municípios.

Durante a cerimônia, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, homenageou os Agentes Comunitários de Saúde e os profissionais de enfermagem. “Tramitam no Congresso Nacional duas propostas que reconhecem o trabalho de vocês e o Ministério da Saúde fará de tudo para apoiá-los”, disse Queiroga.