Politica
02/10/2021 22:20

O governador Eduardo Leite e o presidente do Senado, senador Rodrigo Pacheco, participaram, nesta sexta-feira (1º/10), do encerramento do encontro nacional de procuradores-gerais de Justiça, conselheiros do Conselho Nacional do Ministério Público (MP), presidentes de associações do MP, procuradores e promotores de Justiça de todo o Brasil.

Realizada no hotel Serra Azul, em Gramado, a edição deste ano teve como tema “O Ministério Público de uma nova era – reflexões e projeções”, com o objetivo de debater temas como a estrutura do MP em face da era digital e da sociedade interconectada. O entendimento entre poderes e instituições e a defesa da democracia pautaram as falas de encerramento do evento.

“Como servidores públicos, admitidos por concurso ou por voto popular, escolhemos a missão de atender ao interesse público. Não podemos nos resignar naquilo que diz a norma fria das nossas atribuições, é preciso mais. Precisamos dialogar, respeitando a independência e a autonomia funcional de cada instituição, respeitando os espaços de contestação, mas conversando e alinhando ações para tornar a nossa democracia mais efetiva e mais resolutiva para os problemas da população. Lá na ponta, o que importa é se o cidadão tem escola para o filho, saúde, oportunidade de emprego e renda. Para isso não é preciso um ambiente de ataques, como temos visto infelizmente no nosso país, mas sim um ambiente de entendimento. Aqui no nosso Estado alcançamos um alinhamento importante, inclusive orçamentário, graças à capacidade de diálogo e convergência”, afirmou o governador.

O procurador-geral de Justiça do Estado, Marcelo Dornelles, destacou a integração de forças e propósitos como “o único caminha para avançarmos na instituição”.

Em sua fala, o senador Rodrigo Pacheco enfatizou o papel do MP na manutenção da democracia. “O Ministério Público é um dos pilares da defesa do Estado democrático de direito. Infelizmente, em 2021, o MP ainda precisa se preocupar em assegurar a legitimidade da nossa democracia, quando há tantos outros problemas para serem enfrentados. Mais do que nunca, a despeito de divergências políticas, precisamos trabalhar com união para enfrentar o básico, combater a fome e a miséria no país, e não criar mais inimigos”, disse.

O evento foi realizado pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul, Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais (CNPG), Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e pela Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), com apoio da Associação do Ministério Público do RS (AMPRS) e da Fundação Escola Superior do Ministério Público (FMP). A coordenação executiva do evento foi do ex-procurador-geral de Justiça do Rio Grande do Sul Fabiano Dallazen.