Policia
19/06/2022 22:41

A maior operação de combate à corrupção do interior do Estado do Rio Grande do Sul, que investiga denúncias de corrupção em parte do Poder Público canelense, estará mais forte a partir da próxima semana, quando a Operação Cáritas ganha o apoio do Gaeco – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, do Ministério Público do Rio Grande do Sul.

Agentes do Gaeco irão atuar junto ao promotor Bruno Pereira Pereira, que é o responsável do MP pela Operação Cáritas, e à Delegacia de Polícia de Canela, que segue responsável pelas investigações. A ideia é trazer uma análise mais especializada dos documentos produzidos até o momento pela investigação, dar mais transparência ao processo e, sobretudo, mais agilidade, pois a Cáritas passa agora a ser uma força-tarefa.

Além de ter mais recursos humanos a frente da análise dos documentos e informações trazidos aos autos, a força-tarefa agora conta, a partir do ingresso do Gaeco, com ferramentas especializadas na investigação de lavagem de dinheiro.

Pelo menos mais duas fazes da Operação Cáritas devem acontecer ainda este ano, ainda para elucidar situações de suspeita de corrupção já mencionadas nos relatórios de investigação anteriores. O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO – é um órgão do Ministério Público que atua diretamente na identificação, investigação e repressão das atividades de organizações criminosas no Estado do Rio Grande do Sul. Integrado por Promotores de Justiça designados pelo Procurador-Geral de Justiça, é composto por Núcleos Regionais e por um Núcleo de Segurança Alimentar, que abrangem a totalidade das comarcas e municípios do Estado.

Fonte: Portal da Folha