Geral
19/05/2020 19:04

A Prefeitura de Gramado tem divulgado diariamente boletins epidemiológicos com os casos suspeitos, positivos e descartados de Covid-19. Porém, as informações de um boletim para o outro não batem. São desencontradas.

O município parece não ter controle das informações que repassa para a imprensa. São todas incompletas e imprecisas.

O boletim de hoje, dia 19, informa que foram registrados sete casos positivos, dos quais cinco estão curados e dois seguem em isolamento domiciliar. Mas o de sexta-feira, dia 15, trazia a informação que Gramado registrava cinco casos residentes confirmados, sendo um pelo Lacen e quatro através de testes rápidos. O documento diza ainda que Gramado teve mais dois casos importados, ambos já curados. Então eram sete casos.

Destes cinco casos positivos recentes, dois têm relação com empresa do ramo da construção civil que teve obra interditada pela Vigilância em Saúde na manhã desta sexta. 

Já o boletim de sábado, dia 16, repetia que Gramado possuía cinco casos confirmados e que a única mudança em relação ao boletim de sexta foram dois casos novos, um deles diagnosticado a partir de exame feito pelo Lacen e outro através de teste rápido. 

Como que hoje o boletim diz novamente que são sete casos, sendo cinco já curados? Se haviam cinco casos de residentes, mais dois importados relacionados a empresa Rio Verde, que teve a obra de construção interditada, e dois novos casos no sábado? Então haviam nove casos confirmados? Se cinco já estão curados, como que restam dois em isolamento domiciliar?

Esta na hora de a Prefeitura passar informações claras e objetivas. A população merece saber o que está acontecendo. Quantos casos existem realmente? Quantos estão isolados? Quantos de fato foram curados? 

Ninguém informa o que acontece com a pessoa que é diagnosticada com o coronavírus. Qual o procedimento adotado? Como essa pessoa é colocada em isolamento domiciliar? Como é feito o controle de que o doente realmente está em isolamento? Nada disso é informado. Parece que preferem passar informações pela metade porque é mais cômodo e não precisam responder a perguntas. 

Abaixo o confuso boletim epidemiológico divulgado hoje pela Prefeitura: