Politica
12/04/2019 14:29

O vereador canelense, Jerônimo Terra Rolim (PSDB), respondeu ao pedido de cassação do seu mandato, feito pelo ex-procurador de Canela, Luiz Fernando Tomazelli. Jerônimo disse que o pedido não tem nenhum fundamento e é uma denúncia infundada motivada por vingança. "Mostra que o ex-procurador é uma pessoa vingativa, teve um ato mesquinho e desprovido de inteligência. Ele está desatualizado e não conhece  de processo civil e jurisprudência. É uma burrice jurídica", disparou o vereador tucano.

Segundo Jerônimo, o ex-procurador está fundamentando seu pedido de cassação numa ação em que o vereador entrou contra o Facebook, onde havia uma página da Secretaria de Obras, que divulgava as obras da pasta. Contudo, de acordo com Rolim, do dia para a noite esse perfil virou Fake e começou a atacá-lo e fazer ameaças. "Pedi que a rede social suspendesse o perfil falso, mostrando que antes aquela página era da Secretaria de Obras de Canela. Fiz um pedido judicial condicionante, para que o Facebook fosse intimado para retirar o perfil falso do ar e que a Prefeitura fosse intimada para dizer se o perfil era da administração. Se a Prefeitura confirmasse que era responsável pela página, eu queria que fosse processada por danos morais", disse Jerônimo.

Ele explicou que o regimento interno da Câmara de Canela diz que o vereador não pode processar a Prefeitura. Porém, nesse caso, a regra não se aplicaria. "Como é um caso concreto, em que supostamente a Prefeitura teria causado um dano moral a minha pessoa, essa regra não se aplica. O ex-procurador Tomazelli não entende de interpretação restritiva. Eu não entrei com o processo contra o Executivo, apenas pedi que fosse intimado a prestar informações se o perfil falso no Facebook era da administração. Se fosse confirmado, aí sim haveria o processo. E isso não iria causar perda de mandato, pois estaria sendo ofendido pessoalmente", pontuou o vereador do PSDB.

Jerônimo conta que quando entrou com o pedido de intimação judicial, o juiz não deu prosseguimento e extinguiu o feito. "Diante disso, eu não dei continuidade, não recorri ao Tribunal de Justiça. Não houve sequer citação judicial. Não existiu o processo contra a Prefeitura", frisou.

O vereador Jerônimo afirmou que o ex-procurador de Canela, Luiz Fernando Tomazelli, o persegue há tempos. "Ele também perseguia outros procuradores do Município. Então eu li a denúncia na tribuna da Câmara em que ele vai responder por improbidade administrativa. Em vez de Tomazelli se preocupar em se defender nesse processo, ele fez esse pedido de cassação do meu mandato, numa tentativa de retaliação, para me abalar. Ele sabe que esse pedido de cassação do mandato não vai dar em nada, pois não tem fundamento jurídico", frisou Rolim.

"Vou processar o ex-procurador por danos morais. É uma atitude motivada por vingança. Eu ficaria preocupado se esse pedido de cassação do meu mandato tivesse vindo de um advogado estudioso, que não é o caso. Se a Câmara dos Vereadores der prosseguimento ao pedido de cassação, irei entrar na Justiça e consigo uma liminar para trancar o processo", finalizou o vereador.