Policia
27/05/2019 15:32

A Polícia Civil de Gramado, com apoio da Brigada Militar, no âmbito de investigações de homicídio/execução, tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas, prendeu hoje, 27 de maio, dois homens. Um dos presos é investigado pelo homicídio/execução de Celso Berwig, crime ocorrido no dia 12 de maio último.

Conforme as investigações, o homem preso tinha assumido a função de recebimento, armazenamento e distribuição de drogas a traficantes do varejo, bem como cobranças de dívidas do tráfico para facção criminosa com base na região metropolitana, que busca o controle do narcotráfico na cidade e que é responsável pelas execuções ocorridas em Gramado desde o final de 2017, dentre as quais a de Celso Berwig.

O homem, natural da Bahia,  residindo há pouco tempo em Gramado,  foi preso no interior de um restaurante, localizado do centro de Gramado, no qual trabalhava e tinha a função de cuidar à noite.

Em seu poder, no restaurante, foram apreendidos cerca de 10 kg de maconha, 350 gramas de cocaína ainda em pedra, anotações de contabilidade do trafico, smartphones, dentre outros objetos de interesse da investigação.

Além da prisão temporária pela suspeita de envolvimento no homicídio, será autuado em flagrante por tráfico de drogas. A companheira do investigado também foi detida. Outro homem suspeito também teve prisão preventiva decretada por tráfico de drogas.

O segundo alvo da operação, conforme as investigações, também tinha papel de destaque na organização criminosa, sendo responsável por receber, fracionar e distribuir drogas a outros traficantes, além de realizar a venda direta.

Em sua residência, no Bairro Várzea Grande, foi apreendido um tijolo com cerca de novecentos e sessenta gramas de maconha, além de quarenta gramas de cocaína, dinheiro, smartphones e outros objetos de interesse da investigação.

O investigado estava acompanhado de sua namorada, que também  foi detida. Ele será autuado por tráfico de drogas vinculado à facção criminosa acima referida.

“Os nomes dos presos não serão divulgados neste momento por conveniência da investigação. A operação foi denominada de Duas Caras”, disse o delegado de Gramado, Gustavo Barcellos.