Cultura
01/04/2019 15:02

O evento do “Dia da Cultura Gramadense”, realizado pela Secretaria da Cultura, no último domingo, 31, no Centro de Cultura Prefeito Arno Michaelsen e no entorno do Lago Joaquina Rita Bier, foi sucesso de público e de atrações.

Quem passou por lá pôde assistir a shows, brincar, participar de oficinas, contemplar exposições de arte, consumir na praça de alimentação, adotar animais e adquirir artesanato, inclusive a autêntica produção indígena.

“Há 300, 400 anos, nossos antepassados viviam da coleta de frutas, mel, pesca e caça. Hoje, vivemos do artesanato para comprar o que nossos filhos precisam. Dependemos do movimento de cidades turísticas para defender o pão de cada dia”, explicou o índio Caingangue, Alcir salvador, da Aldeia Condá, de Chapecó (SC).

Por volta das 11h, sob as árvores do pátio do Centro de Cultura, o secretário Allan John Lino ministrava uma aula de violino para alunos ,como Elisa Tjurs, de 13 anos. Allan nterrompeu a instrução por instantes a fim de fazer uma avaliação sobre o evento.

“O Dia da Cultura Gramadense é realizado há sete anos. Começou com o ex-secretário da Cultura, André Bertolucci, é preciso reconhecer. Com muita propriedade, o evento vem sendo qualificado há três anos, integrando a comunidade cultural gramadense e a legitima produção artesanal e expressões indígenas”, disse o secretário da Cultura.

O prefeito Fedoca Bertolucci (PDT), secretários de governo, vereadores e um grande público compareceram ao evento.

“Foi um dia para não esquecer, marcado pela diversidade. O evento contemplou praticamente todos os segmentos culturais da cidade”, avaliou o prefeito.